Thursday, May 31, 2012


As minhas conversas contigo.



Vim auscultar-te. É meia noite.
Vieste saber de mim?  (perguntaste)
Sim. (respondi) Pareces embriagado!
E estou. A Vida tolera-me os ímpetos; acolhe-me os voos selvagens.
Tens Sorte.
Sorte é para quem ausculta.
Gostava de beber contigo. Aprendi ontem que a vunerabilidade está nos Felizes.
Está.
Gostava de beber contigo.
Devo calar-me?  Sei que te acordo e a tua criatividade desliza.
Sim deves calar-te.
Ausculta.

Doem-me as pernas sabes!
Dizes-mo sempre.
Tens que parar com isto, não é conveniente!
Para quem?
As Mudanças constantes, o corre corre, o fernesim; não trazem saúde, não te parece?
Não.
A tua teimosia é incorrigível
Queres enervar-me para que me descontrole?
Tu descontrolas-te a ti mesmo. Não tarda aprecem as palpitações, até me admirava se te ouvisse batimentos normais.
Normais!
Presumes que sabes como passo os dias?. Os dias em que te doem as pernas e os que não te doem as pernas!.
Estou aqui encafoado e quando te vejo, é para que me auscultes não para que me ouças
Deixa-me, quero dormir. Isto leva a nada.
Estavas cansada dos anos de azáfama diária . Acedi vir para  aqui para que repousasses, mas não quero viver encafoado.

Não quero voltar ao mesmo, sabes isso. Assim seria feliz se não me faltasses!
Mas não vais voltar ao mesmo!
Pois sim.
Pensas então que nada aprendi nestes anos?
Tu não aprendes. Ainda agora falavas nos teus impetos e voos selvagens. E é  por isso que te acordo à meia noite.... a ver se a tua criatividade desliza.
E queres tu a vunerabilidade dos felizes!


AML
Maio 2012

2 comments:

  1. Escreveste tu isto?

    ReplyDelete
    Replies
    1. eu (CML) aceitei este comentário sem querer. Podes responder AML?

      Delete